Sábado, 22 de Março de 2008

DIÁRIO...

.

.

Essa semana que se passou foi uma semana muito reflexiva para mim. Por várias vezes me peguei absorta em meus pensamentos. Não nego, era sim, em relação aos últimos acontecimentos. Aliás, pensando mais um pouquinho agora, já são 15 dias.

 

Já senti tudo, raiva, ódio, pena, mágoa, felicidade, liberdade, tudo. Mas as vezes penso que esse misto não é nada bom! Só posso torcer para passar....

 

Também, não é fácil você descobrir de forma inusitada o quanto as pessoas conseguem ter a facilidade de enganar e mentir... por tanto tempo! É, eu devo ser muito ingênua mesmo! Afinal, não perceber coisas tão óbvias só pode ser coisa de uma ingênua e ainda por cima, apaixonada. Enfim..."the end" para esta história! "Finito" e espero que "per sempre"...

.

.

.

Mas tirando esses "fatos", nessa semana eu vivi uma coisa inusitada. Pela manhã, estava eu no metrô aguardando o próximo quando parou um senhor ao meu lado. Olhei para ele e fiquei atônita. Como aquele senhor era parecido com meu pai...

 

Não  consegui para de olhar para ele, analisá-lo: tom da pele, boca, olhar, nariz...tudo! Ele tinha os cabelos brancos e eu até fique pensando que se meu pai estivesse aqui, talvez seria daquele mesmo jeito, uma vez que até o ondulado dos cabelos daquele senhor era igual ao do meu pai...

 

Entrei no vagão e o senhor sentou-se na minha frente. Tive, então, a oportunidade de analisar suas roupas e, por um momento, eu cheguei até a pensar que eram parecidas com as do meu pai...

 

Fiquei o caminho todo olhando para aquele senhor lendo o seu jornal. Talvez ele nem tenha percebido o quanto eu o olhava....

 

Estação Belém. O dia de trabalho começa e aquele senhor e eu talvez nunca mais nos encontraremos, mas ele, sem saber, dispertou em minha aquela saudade boa do meu pai....

.

.

.

 

Bora lá!!

Sinto-me:
Tags: , ,
Rabiscado por Bridget Bran às 02:54
Link do Post | Teçam seus comentários | Adicionar aos favoritos
Sábado, 8 de Setembro de 2007

EU E MINHAS VONTADES...

.

Bom, ultimamente eu ando sentindo vontade de fazer várias coisas. Enfim, talvez essas vontades tenham um fundamento, não sei. Mas acontece que faz algum tempo que ando pensando muito em meu pai. Talvez por causa do dias dos pais, não sei. Essa semana eu chamei minha mãe para ir ao lugar onde deixamos seu corpo descansar... o cemitério.

 

É, esse lugar não me agrada muito, principalmente por que a ultima vez que estive lá mexeu muito comigo, pois foi o dia que fizemos a exumação dele. Não foi fácil aquele dia, mas, mesmo sendo difícil é uma coisa que precisamos encarar... às vezes.

 

Hoje foi o dia. Fomos todos, minha mãe, meu irmão e eu. Chegamos lá, o local vazio, tranqüilo. Mesmo fazendo muito tempo da ultima visita, eu sabia exatamente o local. Paramos em frente, estava tudo certo, nenhum problema.

 

Ficamos parados ali por um tempo, meu irmão por um momento lembrou-se de algo referente à data. Minha mãe lembrou-se de alguma outra coisa. E eu lembrei de tudo que aconteceu antes, durante e depois...

 

Eles decidiram ir dar uma volta e eu fiquei ali, parada embaixo de um sol forte, olhando para aquela lápide. Rezei um Pai Nossa para ele. Pedi para ele ficar a meu lado, pois eu estava precisando dele. Fiquei pensando em como seria nós, hoje. Como seriam nossas vidas. Se teríamos uma chance para ficarmos juntos.

 

Mas, acho que a sensação mais forte que tive foi a de que parecia que ele não estava ali, de baixo daquela lápide. Acho que sinto meu pai muito mais dentro da minha casa do que senti ali, naquele lugar longínquo. Não sei explicar, mas por um momento me perguntei o que estava fazendo ali se ele não estava ali...

 

Foi estranho esse pensamento, mas confortante, pois é pensando assim que percebo o quanto posso senti-lo comigo. O quanto sinto saudades. O quanto ele é presente em minha vida. E que, mesmo com essa separação física que há entre nós, ainda estamos juntos. Sim, eu sei que estamos juntos...

 .

No final desses pensamentos e orações, não consegui segurar as lágrimas...

.

.

Sinto-me: com saudades do meu pai...
Em meus ouvidos toca: Cnação sem Fim - Flavio Venturini
Rabiscado por Bridget Bran às 03:30
Link do Post | Teçam seus comentários | Adicionar aos favoritos

.Eu, eu mesma e sem Irene!

.Ainda no Forno:

. DIÁRIO...

. EU E MINHAS VONTADES...

.Julho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17

19
20
21
22
23
24
25

27
28
29
30
31


.Lembranças

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

.Tags

. todas as tags

.Pesquisar neste blog

 

.subscrever feeds